Ouvidoria do TCE-AM e Semed visitam escolas do projeto Ouvidoria Estudantil

Para retornar as atividades do projeto Ouvidoria Estudantil, a Ouvidoria do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) e a Secretaria Municipal de Educação (Semed), nos últimos dias, estiveram reunidas com as escolas participantes do projeto.

O encontro teve como objetivo organizar o Ouvidoria Estudantil, após a interrupção devido à pandemia, e alinhar a eleição dos alunos ouvidores das escolas Abílio Alencar, Antônia Pereira e Dalvina Oliveira.

Foto: Giovana Airon

“É fundamental estarmos de volta às escolas para retomar o projeto. Estivemos distantes durante o período pandêmico, e muitos alunos, que foram apresentados ao Ouvidoria Estudantil em 2019, já saíram. Havendo, assim, a necessidade da apresentação do projeto aos novos estudantes, além do processo de eleição”, destacou o diretor da Ouvidoria do TCE-AM, Harleson Arueira.

A eleição será de acordo com a realidade de cada escola. Pois, nem todas voltaram às aulas no mesmo modo de ensino. “Nós temos escolas que estão no semipresencial, no processo on-line e temos escolas que já estão completamente no presencial. Então, esse processo de eleição será conforme a situação de cada instituição”, disse a assessora pedagógica da Divisão de Apoio à Gestão Escolar (Dage) da Semed, Tatiana Moreira.

Sobre a eleição

O processo de eleição ocorrerá na próxima sexta-feira (30), o aluno mais votado ocupará o cargo de aluno ouvidor, e o segundo com o maior número de votos será o aluno ouvidor adjunto.

Após a eleição, os alunos eleitos, junto aos grêmios estudantis, vão participar da formação e capacitação do projeto, que ocorrerá, no período do dia 03 a 05 de agosto, na sede da Corte de Contas amazonense.

O mandato dos alunos ouvidores será de acordo com período do grêmio estudantil de cada escola. Esses alunos terão, entre outras responsabilidades, ouvir os outros estudantes, recebendo suas solicitações, reclamações e elogios, para que sejam encaminhados à Ouvidoria, além de receber o desafio de identificar os problemas da escola, refletirem sobre eles e proporem uma resolução ao problema.

Importância da volta do projeto para comunidade escolar

O projeto foi suspenso em março do 2020, devido às medidas de segurança provocadas pelo novo coronavírus. Antes da paralisação, foram realizadas reuniões com os alunos e corpo docente, de cada escola participante, para apresentar o Ouvidoria Estudantil. Gestores e alunos comentaram sobre a volta do projeto.

Foto: Giovana Airon

“A importância do retorno do projeto Ouvidoria Estudantil é igual a retomada das aulas semipresenciais. Através de projetos como o Ouvidoria Estudantil, conseguimos combater a evasão escolar, a indisciplina e o baixo rendimento. O projeto traz, ainda, a questão dos direitos e deveres dos alunos e, através disso, nós trabalhamos, também, a escuta dos alunos, seus anseios e o que precisa ser melhorado na escola”, comentou a diretora da Escola Municipal Antônia Pereira, Cristiane Marques.

Alguns alunos, que estavam participando do projeto em 2019, saíram das escolas. O que abriu a oportunidade para novos participantes. Como o aluno do 7º ano da Escola Municipal Abílio Alencar, Máximo Gilvan, que falou de sua expectativa para a volta das atividades. “Participar desse projeto é muito importante para mim, porque eu vou ter uma experiência enriquecedora e aprender coisas novas. Além de poder ajudar na melhoria da escola e fazer com que ela se torne referência na educação”, disse o estudante.

Protagonismo Estudantil

O Ouvidoria Estudantil é uma parceria da Ouvidoria do TCE-AM com a Semed, que tem o intuito capacitar os alunos da rede pública de ensino, promovendo o protagonismo estudantil na gestão escolar bem como a participação cidadã, além de fortalecer o controle social.

Para o conselheiro-ouvidor do TCE-AM e idealizador do projeto, Érico Desterro, o Ouvidoria Estudantil é fundamental para despertar o espírito cidadão das crianças e adolescentes.

“O projeto visa ouvir o aluno e saber o seu nível de satisfação com o atendimento escolar que está sendo prestado, capacitando-os, também, para ajudarem na fiscalização do controle social, e promover o protagonismo estudantil. Iremos treiná-los para que eles tenham um canal aberto com o Tribunal de Contas”, afirmou, ao relembrar que o projeto tem o apoio do conselheiro-presidente Mario de Mello.

As escolas escolhidas para fazerem parte do projeto foram a Escola Municipal Antônia Pereira, no bairro Santa Etelvina (zona norte); a Escola Municipal Abílio Alencar, na rodovia AM 010 (zona rural de Manaus); e a Escola Municipal Dalvina Oliveira, no bairro Tarumã (zona oeste).

Texto: Giovana Airon

 

Nosso feed no Instagram
Rolar para cima